19 setembro, 2005

Reencontro em Praia Grande (SC)

Praia Grande é uma cidade de visual incrível encrustada na base da Serra dos Aparados, onde fica o famoso Itaimbezinho, um entre os tantos canyons enormes que habitam o pano de fundo no dia-a-dia dos Praia-Grandenses. Praia Grande está em SC, e faz divisa com a cidade de Mampituba, no RS, através do rio X (que não me lembro o nome ;c), um rio de águas cristalina que chega na cidade razoavelmente limpo e que segue bastante contaminado com os dejetos de algumas propriedades, e principalmente, com os resíduos dos agrotóxicos usados na cultura do arroz, principal cultivo local e que toma inacreditáveis 3300 hectares da cidade. Do nível da cidade, que dista apenas 60Km da cidade litorânea de Torres (RS), até o topo da serra são 2000m de altura, é um cenário de cair o queixo, literalmente. Desde que conhecemos esse lugar ficamos com vontade de voltar, não só por ser lindo e ter uma energia encantadora, mas pela forma como as pessoas são receptivas.

Visual de uma cachoeira local

Chegamos na casa do Silvio e Bernadete, um casal genial que havíamos conhecido no Encontro Ampliado da Rede Ecovida e que nos acolheu novamente com sorrisos, polvilho saindo do forno e todo carinho. Jace aguardava com um chimarrão prontinho, e a Miriam com sua serenidade a flor da pele. O Cris (agora também ex-IPEP), para nossa alegria também estava por lá há alguns dias, trabalhando com o Silvio em projetos da comunidade, e aguardando a chegada do casal CicloBrasil Ju & Lu, que saíram do IPEP, no pedal, pouco antes de nós - uma chegada muito aguardada. Ê saudades!!! Festejamos muito esse reencontro cheios de lembranças, trocas, alegrias e muitos planos. Foi lindo. Muitas boas vibrações rolaram nestes dias que estivemos juntos novamente; fisicamente, pois nossos corações sempre estiveram unidos. Kaylo e Gabriel também curtiram esse reencontro e passaram os dias juntos brincando, brigando e aprendendo.

Silvio e Bernadete são um casal sensacional, pessoas muito especiais que colocam em prática no seu dia-a-dia tudo que tentam passar para as comunidades e agricultores com quem trabalham através do núcleo local da EPAGRI. Com toda a determinação e fé começam também a implementar um "design permacultural" em sua bela propriedade, situada próximo ao canyon Malacara, mostrando aos agricultores da região, que fazer ecologia em suas propriedades, na prática, é a melhor forma de viver bem e com saúde.

No terreno da casa deles, fizeram uma construção suspensa onde hospedam os "clandestinos"que passam por lá e que também serve de abrigo para os carros; e é claro com um banheiro seco para ninguém botar defeito. Abaixo do banheiro fica o chuveiro e pensamos em fazer um aquecedor solar para o chuveiro, e fizemos. Quer dizer, o Gui e o Silvio porque a jess escorregou na horta (estava chovendo todos os dias) e bateu com o olho esquerdo numa estaca que estava firmando o brocolis, e ficou fantasiada de pirata alguns dias. As galinhas também fazem seu trabalho em tratores móveis sempre ao redor do açude, que fica logo abaixo da casa, rodeado também por árvores frutíferas. Mais a distância, ficam o pomar, uma pequena área para plantio de mandioca próximo de onde está sendo construída mais uma habitação "clandestina", dessa vez em pau-a-pique e com telhado ainda a definir.

Na cidade de Mampituba, tivemos também a oportunidade de participar de um encontro sobre segurança alimentar promovido pelo Centro Ecológico e patrocinado pelo programa Petrobrás/Fome Zero. À parte de alguns comentários de um médico palestrante local, o evento foi muito interessante, e o fato de envolverem as crianças e donas de casa facilita a mudança dos hábitos alimentares da família a fim de promover a produção e o consumo local de produtos ecológicos. A palestra mais curta, mais bonita e mais especial ficou por conta de Rafinha, uma senhora de Maquiné que trabalha há muitos anos com plantas medicinais. Ponto para o Centro!

Na noite anterior a nossa despedida ficou a surpresa do reencontro com o velho parceiro "Bonitão", nosso amigo Ronaldo que vive no IPEP desde o final de Junho e que conheci no curso de Ecoconstrução em Jan/2004 também em Bagé. E seguimos adiante...