22 outubro, 2005

São José do Cerrito - Boas Raízes na Terra

Durante o congresso e encontro da Permear conhecemos Pedro Marcos, Eluza e Helena, familia iluminada que vive em São José do Cerrito, e que vem construindo sua casa no sítio Raízes há dois anos, na propriedade da família Ortiz, da qual Pedro representa a terceira geração na terra. Além dessa nova residência, ampliada a partir de uma casa antiga com o uso de superadobe e fardo de palha, começam a ficar mais e mais visíveis os frutos e a evolução concreta dos últimos sete anos de trabalho permacultural na propriedade. Pastoreio rotativo integrado ao design, um lindo bosque de araucárias, uma extensa área com frutíferas variadas, um novo parreiral que vem sendo tocado com muito carinho e que está em seu segundo ano de produção, recuperação de solo degradado com adubação verde, completa sistematização de água incluindo o uso da água excedente em açudes para produção de peixes, de plantas aquáticas, iluminação refletiva para a casa e climatização local.
Visão lateral do açude principal com mudas na borda e plantas aquáticas recém implantadas ao fundo
Em 2003, eles promoveram em conjunto com a prefeitura municipal um curso de "zona 1", em parceria com o IPAB. Com a intenção de praticar com base na teoria formal oferecida num curso de PDC (Curso de Design em Permacultura), as oficinas práticas contaram com três enfoques principais: produção de alimentos (horta mandala, espiral de ervas, criação de animais e minhocário, compostagem), habitação (construção natural, fogão a lenha com serpentina, aquecedor solar de água) e segurança hídrica (construção de cisterna de ferrocimento, círculo de bananeiras, banheiro compostável seco e bacia de evapotranspiração).
Marcelo Venturi e o fermentador de pneus da bacia de evapotranspiração - Curso de Zona 1/2003
O local também recebe alunos de escolas da região e até de Florianópolis, além de grupos de agricultores, assentados e membros de secretarias de saúde, de habitação e de agricultura dos municípios vizinhos que vem admirar o trabalho realizado pela família. Tamanha relação com a prefeitura local e demais municípios é fruto do trabalho incansável de Pedro Marcos, que hoje atua também como secretário de planejamento, e de Eluza que ajuda a coordenar as ações da secretaria de educação e na APAE local, e obviamente de sua ética e exemplar dedicação em implementar o design e utilizar tecnologias apropriadas sempre que possível em suas espaços de trabalho (cisterna para coleta de água de chuva na APAE, arborização da cidade com árvores frutíferas, programa integrado de destinação de resíduos, tratamento local de esgoto, etc) .
Ao lado da casa fica o parreiral de onde saem as uvas para fazer o suco e o vinho que a familia Ortiz consome e que em alguns anos tambem venderá, sendo outra fonte de recursos. Como não poderia deixar de ser, Pedro Marcos recicla garrafas de vidro, esterilizando-as e usando-as para engarrafar os sucos e os vinhos, o que pretende continuar fazendo quando conseguir atingir um nível de produção comercial, e o tempo permitir.
Atrás da casa ficam várias frutiferas onde Helena e Kaylo fizeram a feira, enquanto nós fomos observar a nascente e beber de sua água pura dando uma volta rápida no lindíssimo bosque de araucárias.
Pedro Marcos e sua "outra paixão": as araucárias!

No domingo, dia da reunião familiar fomos recebidos por seus pais que nos proporcionaram carinho e banquetes que não tinham fim em cada refeição. D.Celia (mãe de Pedro), fez umas roscas de polvilho que não conseguimos parar de comer, e como todo bom conhecimento deve ser disseminado, aí vai a receita :
Receita da rosquinha de polvilho da D. Célia Ortiz

Ingredientes : 1 pct de polvilho azedo, 1copo de leite frio, 1 copo de um bom azeite bem quente, 1 colher de sopa de sal, 500 g de coalhada ou ricota, 5 a 6 ovos de galinhas felizes.

Kaylo & Helena e as galinhas felizes do Sítio Raízes

Modo de fazer : Colocar o polvilho em uma bacia grande e deixar descansar por 25 minutos, acrescentar o leite e mexer, esfarele a farinha, escalde com o azeite quente, acrescente a coalhada, os ovos e misture bem. Por último o sal sovando bem. A massa pronta dura até 1 semana na geladeira.

1 Comments:

At 9:47 PM, Anonymous Walter Heck e Soraya Correa said...

QUERO CONHECER SUA ESSA PROPRIEDADE E ESSA FAMÍLIA, NASCI EM SÃO JOSÉ DO CERRITO E FUI PARA OUTRA CIDADE, VOLTEI PARA FAZER CURSO TÉCNICO EM AGROPECUÁRIA, HOJE MORO EM CURITIBANOS ONDE CURSO AGRONOMIA NA UFSC. MINHA AMADA É DO CERRITO, ESTAMOS CONSTRUINDO NOSSA CASA E UMA VISITA A ESSA FAMÍLIA COM CERTEZA VAI ACONTECER.

 

Postar um comentário

<< Home